Dark Strong Ale

 

    A maioria das versões são únicas em caráter, refletindo características das cervejarias individuais.

Características

    Uma ale belga escura, muito rica, complexa e muito forte. Complexa, rica, suave e perigosa. As versões autenticamente trapistas tendem a ser mais secas (os belgas dizem “mais digestivas”) que as versões de abadia, que podem ser um pouco doces e encorpadas. Um maior amargor é permitido nas cervejas de abadia com uma maior densidade. São tradicionalmente “acondicionadas em garrafa” (refermentadas na garrafa).

    Exemplos comerciais: Westvleteren 12, Rochefort 10, St. Bernardus Abt 12, Gouden Carolus Grand Cru of the Emperor, Achel Extra Brune, Rochefort 8, Chimay Grande Reserve (Blue), Brasserie des Rocs Grand Cru, Gulden Draak, Kasteelbier Bière du Chateau Donker.

    Parâmetros Básicos: 8-11% álcool em vol.; IBU=20-35 (amargor médio a alto); SRM=12-22 (cor âmbar escuro a acobreada escura).

 

Quadrupel Ale: é o nome dado para as ale trapistas e de abadia muito fortes. É um estilo de ale de grande força com flavor mais vigoroso, comparada com as suas irmãs Dubbel e Tripel. São cervejas utilizando o quádruplo de malte do que em uma cerveja “comum”. Tipicamente escura variando de vermelho profundo, marrom e granada. Encorpada com um palato rico em malte. Fenóis estão normalmente num nível moderado. Doce com um baixo amargor, mas com álcool bem perceptível. Ex: La Trappe Quadrupel e as relacionadas como Dark Strong Ale.

 

Trapista: apenas uma cerveja fabricada em um mosteiro, sob o olhar atento da comunidade monástica cisterciense morando lá, pode legitimamente usar o nome estritamente controlada de "Trappiste". O logotipo “Authentic Trappist Product” (Produto Autêntico Trapista) dá ao consumidor esta garantia. Atualmente, a ITA (International Trappist Association), entidade criada com o propósito de definir as regras do estilo e proteger o nome do uso abusivo por parte de outras marcas, possui como membros apenas 11 abadias trapistas, 6 na Bélgica (Westvleteren, Chimay, Orval, Achel, Westmalle e Rochefort), 2 na Holanda (Koningshoeven, onde são fabricadas as cervejas La Trappe e Maria Toevlucht), 1 na Áustria (Stift Engelszell), 1 na Itália (Tre Fontane) e 1 nos Estados Unidos (St. Joseph).

 

Abadia: A marca coletiva “Bière Belge d'Abbaye Reconnue” só pode ser utilizada por membros da “Union des Brasseries Belges” (que tenham assinado uma convenção escrita com esta associação). As cervejas de abadia também não são consideradas um estilo mas, diferentemente das trapistas, as cervejas “de abadia” não possuem origem controlada. Podem ser produzidas em grandes fábricas e comercializadas normalmente, desde que a sua receita original tenha sido originária de uma abadia, a qual pode ou não ser da ordem trapista. As cervejas de abadia mais conhecidas são: Abbaye d'Aulne, Affligem, Floreffe (Brasserie Lefebvre), Grimbergen (Alken-Maes), Leffe (Anheuser-Busch InBev), Maredsous (Duvel Moortgat), Saint-Feuillien, Steenbrugge (Palm Breweries), Ter Dolen (Brasserie De Dool) e Val-Dieu.