O Queijo                                       

 

              

                        (Ordenha na Quinta da Pena, Petrópolis-RJ)

 

O Leite

    O leite de ovelha raramente é consumido fresco. Pois, por ser muito mais concentrado do que os leites de vaca e de cabra, geralmente é processado em derivados lácteos, especialmente queijos e iogurte, em todo o mundo.

    O teor de proteína no leite de ovelha é muito superior em relação a outros tipos de leites, tais como: vaca, cabra e búfala; tornando-o de mais fácil digestão. Ele contém quantidades maiores de gordura em relação ao leite de vaca e de cabra. No entanto, a presença de gorduras com glóbulos de tamanhos reduzidos, proporciona uma maior digestibilidade. Além disso, o leite de ovelha contém uma maior proporção de ácidos graxos saturados de cadeia curta e média, melhorando a absorção da lactose e diminuindo os efeitos maléficos da intolerância.

    Assim como é mais saudável, o leite de ovelha também é mais nutritivo. Ele contém 75% a mais de cálcio se comparado ao leite de vaca. Além de rico em vários minerais tais como potássio, manganês, sódio, cobre, zinco e fósforo. Entre as vitaminas, destacam-se ainda a vitamina C com um teor de 150% a mais em relação ao leite de vaca.

    As raças leiteiras mais empregadas no país são a francesa Lacaune, introduzida em 1992, e a alemã East Friesian ou Milchschaf - considerada a raça de maior produção de leite entre todas as raças ovinas, tendo sido trazida para o Brasil, em 2007.

 

                 

                                           (Ovelha de raça Lacaune)

 

Características

    Os queijos de cabra e de ovelha são muito brancos devido a ausência de caroteno na gordura. Já os de vaca são amarelados. As massas dos queijos de ovelha são mais ásperas e com aspecto um pouco granulado, por serem mais ricas em cálcio. As de vaca são as mais macias, seguidas das de cabra.