Considerações Gerais

 

Estatísticas

    Os maiores produtores de cerveja do mundo, em 2011 (mil litros), foram:

1º China                      48.988,0

2º Estados Unidos        22.545,8

3º Brasil                       13.200,0

4º Rússia                     9.810,0

5º Alemanha                 9.554,5

 

    Os maiores consumos per capita de cerveja do mundo, em 2012 (litros/hab), foram:

1º República Tcheca    148,6

2º Áustria                    107,8

3º Alemanha                106,1

14º Estados Unidos       77,1

24º Brasil                      68,3

 

Mercado

    As cervejas Lager são as mais consumidas no mundo. No Brasil, o consumo da Pilsen - a que mais se adequa ao nosso clima - chega a 98% do total ingerido.

    Na Alemanha, atualmente, a Pilsen detém cerca de 60% do mercado. A Weissbier é o estilo mais popular na Baviera, com mais de 1/3 do mercado, tendo apenas 10% do mercado no resto da Alemanha.

 

O Serviço

    As cervejas de trigo devem ser servidas bem gelada (5 ºC a 7 °C), as claras, e geladas (8 ºC a 12ºC), as escuras.

    No caso das cervejas dos estilos Hefeweizen ou Dunkelweizen, prefira serví-las nos copos grandes e longos típicos das cervejas de trigo. Nesse caso, antes de terminar o líquido na garrafa, agite-a levemente para que os fermentos decantados do fundo se desprendam. Em seguida, derrame esse creme no copo, criando o “colarinho”.

Amargor

    O efeito do amargor é menos perceptível nas cervejas com uma elevada quantidade de malte. A escala IBU ou “International Bitterness Units” (Unidade Internacional de Amargor) fornece uma medida do amargor real da cerveja, que é fornecido pelo lúpulo. Em geral, as cervejas em relação à IBU, apresentam-se:

            < 20: têm pouca ou nenhuma aparente presença de lúpulo;

            20-45: são as mais comuns e têm uma presença de lúpulo de leve a acentuada;

            > 45: são fortemente lupuladas e podem ser muito amargas.

 

Cor

    O SRM ou “Standard Reference Method” (Método Padrão de Referência), adotado pela American Society of Brewing Chemists, é um sistema usado para medir a intensidade de cor de uma cerveja. O sistema de medição de cor EBC (European Brewery Convention) é semelhante ao SRM, tendo a seguinte correspondência: EBC = SRM x 1,97.

Cor                                                                                        SRM

Amarelo-palha (Straw)                                                              2 - 3

Amarelo (Yellow)                                                                     3 - 4

Dourado (Gold)                                                                        5 - 6

Âmbar (Amber)                                                                        6 - 9

Âmbar escuro/Acobreado claro (Deep amber/Light copper)          10 - 14

Acobreado (Copper)                                                                 14 - 17

Acobreado escuro/Marrom claro (Deep copper/Light brown)         17 - 18

Marrom (Brown)                                                                       19 - 22

Marrom escuro (Dark brown)                                                     22 - 30

Marrom muito escuro (Very dark brown)                                     30 - 35

Preto (Black)                                                                            30 +

Preto opaco (Black, opaque)                                                      40 +

 

Legislação brasileira (Decreto nº 6.871, de 04/06/09):

- Cerveja clara: < 20 unidades EBC (< 10,16 SRM)

- Cerveja escura: ≥ 20 unidades EBC (≥ 10,16 SRM)

 

Nota: Um dos grandes mitos e dos mais errôneos é que quanto mais escura uma cerveja, mais forte. Entretanto, a cor da cerveja é determinada pela maneira como se secam os grãos. Não há como isso aumentar o álcool do produto final, embora o oposto possa ocorrer. Se o grão for bastante torrado, como para uma Stout (a mais escura de todas as cervejas), ele ficará menos fermentável e, portanto, produzirá menos álcool que um malte pálido. Outro exemplo, seriam a Dubbel e a Tripel belgas, sendo a primeira mais escura, porém menos alcoólica.

 

Glossário

- Termos alemães

Bernsteinfarbener Weizen Bier: cerveja de trigo âmbar

Dunkelweizen Bier: cerveja de trigo escura

Flaschenlage: cerveja “acondicionada em garrafas”, para produzir uma carbonatação extra

Hefeweizen Bier: cerveja de trigo com leveduras em suspensão

Hefetrub Bier: cerveja turva com levedura, sinônimo de Hefeweizen Bier

Hell, Helles Bier: cerveja clara

Kristallweizen Bier: cerveja de trigo filtrada

Leichtes Bier: cerveja leve ou “light”

Schwarze Bier: cerveja preta

Tankanlage: cerveja “acondicionada em tanques”, para produzir uma carbonatação extra

Ur, Urtyp: prefixo significando “original” ou “tipo original”. A Erdinger Urweisse é um ótimo exemplo deste tipo

Weinzen Bier: cerveja de trigo

Weizenbock Bier: cerveja de trigo com maior teor alcoólico até 8%

Weizen Doppelbock Bier: cerveja de trigo com um ainda maior teor alcoólico até 9%

Weizen Eisbock: cerveja de trigo no estilo “bock”, sendo ainda congelada para aumentar o teor alcoólico, chegando até 12%

Weiss Bier: cerveja de trigo branca

 

- Termos belgas (franceses e flamengos)

Bière Blanche: cerveja de trigo branca

Bruin: marrom

Dubbel: dobro

Oude: velha

Quadrupel: quádruplo

Rood: vermelho

Tarwebier: cerveja de trigo

Tripel: triplo

Witbier: cerveja de trigo branca