Outras línguas européias

      

                                      

Grego

. Durante a Antiguidade Clássica o grego antigo dividia-se em diversos dialetos: dórico, aqueu e grego do noroeste (grupo ocidental); eólico e arcado-cipriota _ herdeiro do micênico (grupo central): ático e jônico (grupo oriental).

. A Ilíada e a Odisseia de Homero foram escritas no grego homérico (também conhecido como 'grego épico'), uma versão primitiva do grego oriental. Já o grego ático, um dialeto-irmão do jônico, foi por diversos séculos a língua de Atenas, no qual foram escritas as grandes obras da filosofia e da dramaturgia que ajudaram a tornar célebre esta cidade. Devido a esta influência, o ático foi adotado na Macedônia pouco antes das conquistas de Alexandre, o Grande. Com a difusão do Helenismo, o ático tornou-se o dialeto padrão, que acabou por evoluir e tornar-se o koiné, isto é, a língua franca da civilização helenística.

. O grego moderno é mais próximo do grego antigo do que as línguas românicas do latim.

 

Celta

. Até a Idade Média, apenas a nobreza tinha sobrenome. Quando as pessoas do povo tiveram que adotar um sobrenome, além do nome de batismo, usavam a profissão, o lugar de origem ou o nome do pai. Nos países cujo idioma era o gaélico, que é uma língua celta, seja irlandesa ou escocesa, esta última derivada da primeira, a forma patronímica adotada foi muito curiosa. Os sobrenomes escoceses empregam o prefixo “Mac” ou a sua abreviação “Mc” (significando “filho de”) mais o nome do pai, tendo como exemplos: MacGregor e McDonald. Já nos sobrenomes irlandeses, o prefixo mais usado é o ”O’ ” (significando “neto de” ou “descendente de”), como em O’Hara.

 

Línguas não indo-européias

. Todas as línguas faladas na Europa são do tronco indo-europeu, com exceção de quatro delas. Uma delas é o basco, falado no norte da Espanha e no sudoeste da França. É uma língua isolada, possivelmente, usada no local desde a Pré-história.

. As outras três são do ramo fino-ugriano: o finlandês, o estoniano e o húngaro; proveniente da parte ocidental dos Montes Urais, cordilheira que delimita a Europa da Ásia.

. Muitos acham que os finlandeses falam uma língua próxima da dos outros escandinavos. Ledo engano, pois eles não falam uma língua do tronco indo-europeu, como a grande maioria dos falantes europeus, mas sim uma língua do ramo fino-ugriano. Por sinal, o finlandês é parente do húngaro, que muitos também acham erroneamente falarem uma língua eslava, como vários de seus vizinhos.

. O húngaro e o finlandês, apesar de pertencerem ao mesmo ramo linguístico, são tão diferentes em seu léxico, que não conseguem se entender.