Consumo

                                (Bar The Connaught Hotel, London - Martini Trolley)

Estilos de Gim 

    Baseado na seleção dos botanicals empregados, o gim apresenta um determinado estilo ou personalidade. Os diversos estilos de gim, podem ser divididos em sete grandes grupos classificados pela família aromática dos ingredientes utilizados em seus componentes botânicos ou pelo método produtivo: - Clássicos: são aqueles nos quais o zimbro predomina, como o Beefeater e o Gordon's; 

- Florais: é o excelente Hendrick's, que leva pétalas de rosas; 

- Frutas cítricas: experimente o ótimo Tanqueray No. Ten;

- Frutas vermelhas: o perfumadíssimo Brockmans;

- Herbais: destacamos o inglês Old Raj e o francês Saffron, ambos com açafrão;

- Condimentados: citaríamos o francês Citadelle, que emprega 19 botânicos;

- Barricados: como o Beefeater Burrough's Reserve.

 

          (Bar 45 Park Lane Hotel, London - Negroni Trolley)

 

Formas de Consumo 

    Em casa, normalmente, eu o bebo puro ou como dry martini. Neste sentido, constantemente, mantenho uma garrafa de gim no congelador. Quando puro, eu o coloco simplesmente numa pequena taça especial empregada para os melhores cognac e armagnac, conforme o modelo nº 4400/71 da linha Sommelier da Riedel. Contudo, os conhecedores britânicos o preferem simplesmente com água mineral não gasosa.

    Quando à beira-mar ou numa piscina, o meu favorito torna-se o tradicional e refrescante gim-tônica. Outras variações, que também me agradam bastante, são: a caipirinha de gim e o red snapper (um bloody mary de gim) Ou, simplesmente, misturado com Schweppes Citurs um refrigerante de sucos de maçã, laranja e toranja.

    A escolha da marca de gim dependerá do tipo de bebida que se quer tomar. Os gins mais econômicos são apropriados para coquetéis de frutas ou com bastante misturas incluídas. Entretanto, as marcas premium, super premium e ultra premium, são as mais indicadas para bebidas que contenham uma grande quantidade de gim, realçando, desta forma, a qualidade do destilado.

 

                      

                             (Taça de gim)                                (Gim-tônica)

 

COQUETÉIS COM GIM

    Em 2018, a revista Drinks International divulgou uma pesquisa realizada com mais de 100 dos melhores bares de coquetéis do mundo. Os dez destilados alcoólicos mais empregados foram: gin (1º), american whiskey (2º), rum (3º), vodka (4º), tequila (5º), scotch whisky (6º), mezcal (7º), brandy (8º), japanese whisky (9º) e pisco (10º).

    Abaixo estão apresentados alguns dos mais importantes coquetéis de gim.

 

Dicas para um Dry Martini Perfeito

- Seqüência: taça + gelo + vermute branco seco + gim + guarnição

- Taça: use uma taça cônica de cristal típica de martini com volume acima de 120 ml, previamente resfriada.

- Gelo: utilize apenas água mineral não gasosa para fazer os cubinhos de gelo. Quanto mais congelado e duro o gelo melhor, pois solta menos água.

- Vermute: o mais usado nos bares de todo o mundo é o vermute branco seco francês Noilly Prat, de preferência mantido sob refrigeração. Use um medidor para dosar a quantidade certa de vermute.

- Gim: o ideal é sempre manter a garrafa do seu gim predileto no congelador. Desta forma a bebida permanecerá bem fria, mas ainda liquefeita. A proporção ideal é de 75 ml de gim, para 10 ml de vermute. Use um dosador para servir a quantidade desejada de gim.

- Guarnição: empregue uma azeitona verde, de preferência sem o carroço. Aconselha-se comê-la no penúltimo gole, quando absorveu todo o sabor. Se usar um twist de limão, elimine a parte branca da casca para não dar amargor.

- Preparo: O mais recomendado é que os ingredientes sejam simplesmente mexidos em copo misturador, previamente resfriado, e não batidos em coqueteleira; contrariando a famosa frase de James Bond: “shaken, not stirred” (e, por favor, ... nunca com vodca!). O batido fica bem mais frio, porém mais diluído. Coloque todos os ingredientes, na ordem assinalada, no copo misturador com gelo. Mexa bem com a colher bailarina. Coe na taça, descartando o gelo, e guarneça a gosto. Sirva imediatamente.

 

Dry Martini

  • 75 ml de gim, 10 ml de vermute branco seco Noilly Prat, azeitona verde sem carroço ou twist de limão siciliano

    Prepare conforme descrito acima.

 

Extra Dry Martini

  • 75 ml de gim, 5 ml de vermute branco seco Noilly Prat, azeitona verde sem carroço ou twist de limão 

    Prepare conforme descrito acima.

 

Dicas para um Gim-Tônica Perfeito

- Seqüência: taça + gelo + gim + tônica + cítrico

- Taça: por ser um long drink com forte caráter aromático, requer um recipiente suficientemente grande, que permita que as borbulhas da tônica se expandam e liberem os elementos aromáticos do gim. Além disso, deve ter capacidade para abrigar muito gelo e, também, o destilado e toda a água tônica da garrafinha. O ideal é usar uma taça balão do tipo borgonha com 600-700 ml de volume, previamente resfriada. A abertura desta taça facilita o trabalho do barman, além de possibilitar a apreciação de toda riqueza aromática da bebida. Esta taça permite ser segurada pela haste, evitando que nossa mão interfira na temperatura da bebida. Finalmente, ela deve ser de cristal por possibilitar um gole infinitamente mais suave que o em vidro.

- Gelo: quanto mais gelo utilizemos, mais baixará a temperatura do copo e mais tempo demorará para ocorrer o degelo dos cubinhos, diluindo a bebida. Além dele resfriar a bebida, também rebaixa a sua graduação alcoólica e, sobretudo, facilita a perfeita fusão de sabores da combinação. Utilize apenas água mineral não gasosa para fazer os cubinhos de gelo. O tamanho do gelo deve ser suficientemente grande, quanto maior melhor, recomendando-se nunca ser inferior a 2,5 cm de lado. A taça deve ficar bem cheia de gelo, entre 6 e 7 cubinhos de gelo. Misture-os com a colher bailarina e escorra a água por ventura formada.

- Gim: o ideal é sempre manter a garrafa do seu gim predileto no congelador. Desta forma a bebida permanecerá bem fria, mas ainda liquefeita. A proporção ideal é de 40-60 ml (50 ml em média) de gim, dependendo do seu teor alcoólico, para 200 ml de água tônica. Use um dosador para servir a quantidade desejada de gim.

- Tônica: empregue de preferência garrafas de água tônica ao invés de latas. O líquido de garrafas é sempre melhor do que aquele de latas, seja ele refrigerante ou mesmo cerveja. Ela deverá estar mantida sob refrigeração, para não “esquentar” o gelo e o gim do congelador e nem perder borbulhas. Infelizmente, no Brasil ainda dispomos de pouquíssimas marcas de tônica, diferentemente da Europa, América do Norte ou Oceania.

- Cítrico: se usar um twist de limão, elimine a parte branca da casca para não dar amargor. Caso opte por uma rodela dele, retire as sementes do mesmo. Outra questão: empregar limão tahiti (verde) ou limão siciliano (amarelo). O segundo é o empregado na Europa, sendo mais aromático e suave que o tahiti. Para muitos o nosso limão verde é o preferido, tanto assim que ele é o empregado na nossa gostosa caipirinha.

- Preparo: O mais recomendado é que os ingredientes sejam simplesmente mexidos e não batidos em coqueteleira, o que diluiria a bebida. Portanto, misture ligeiramente e suavemente os componentes na taça, com uma colher bailarina. Apesar de alguns barmen o fazerem, não é recomendável deixar a tônica escorrer pela espiral da bailarina, para não perder borbulhas. Sirva imediatamente.

 

Gim-Tônica Classic

  •    50 ml de gim, 200 ml de água tônica, 3 gotas de Angostura Orange Bitters, 3 sementes de zimbro ligeiramente esmagadas, twist de limão siciliano e laranja bahia

    Aromatize uma taça balão com zest de limão siciliano e laranja bahia. Encha com cubos de gelo, até a boca. Acrescente o gim, as sementes de zimbro ligeiramente esmagadas e o Orange Bitters. Despeje muito vagarosamente a água tônica, para que parte do gás carbônico não seja logo dissipado. Guarneça com twist de limão siciliano e laranja bahia. Sirva logo. (Versão do coquetel, conforme servido no bar Astor)

                                         
 

Negroni

  • 30 ml gim, 30 ml de vermute tinto doce, 30 ml de Campari bitter (segundo o IBA - International Bartenders Association, mas 20 ml de acordo com a GVA - Gin & Vodka Association), meia fatia de laranja

    Coloque todos os ingredientes diretamente num copo old-fashioned, cheio de gelo. Misture gentilmente com a colher. Decore com uma meia fatia de laranja posta na borda do copo. Opcionalmente, o copo pode ser completado com Club Soda.

 

Red Snapper

  • 45 ml gim, 90 ml suco de tomate, 15 ml suco de limão,12 gotas de Lea & Perrins Hot Pepper Sauce, 6 gotas de Lea & Perrins Worchestershire Sauce, pitadas de sal e de pimenta-do-reino, 1 rodela de limão siciliano

    Misture gentilmente todos os ingredientes num copo alto com 10 cubos de gelo. Guarneça com rodela de limão.  É um coquetel muito parecido com o Bloody Mary, criado após a "Época da Proibição" pelo barman francês Fernand Petiot para o bar King Cole Room do Hotel St. Regis, em Nova Iorque.

 

Caipirinha de Gim

  • 50 ml de gim, 1/2  limão tahiti, 2 colheres de bar de açúcar

    Coloque em um pilão, 1/2 limão cortado em quatro pedaços e o açúcar. Pressione o limão e o açúcar com o amassador, acrescente o gim. Coe e sirva num copo old fashion, cheio de gelo.

 

 

ÁGUA TÔNICA

Residência (Junho 2016): Junto com meu filho Henrique

Painel                                        Pos. JOA

1º Canadia Dry (can)                       1º

2º Schweppes                                  1º

3º Dillar's Classic                              5º

4º Prata                                           3º

5º Schin                                          4º

              6º Antártica                                     6º

 

Residência (Agosto 2017): Junto com meu filho Henrique

Painel                                        Pos. JOA

1º Fever Tree Mediterrenean (eng)     1º

2º Schweppes                                  3º

3º Tônica 202                                  1º

3º 1724 Tonic                                  5º

5º Fever Tree Indian                        3º

5º Prata                                         5º

7º Dillar's Classic                            7º

               8º Be Pop                                      8º

 

Residência (Maio 2018): Junto com meu filho Henrique

Painel                                        Pos. JOA

Tônica 202                                 1º

2º Schweppes                                  2º

3º Wewi Rosé                                  3º

3º Wewi                                          4º

5º Riverside                                    5º

 

Residência (Junho 2018): Junto com meu filho Henrique

Painel                                        Pos. JOA

Schweppes                                 1º

2º Botânica Classic Indian               2º

2º St. Pierre                                  3º

4º Botânica Lemon Dry                  4º

5º Botânica Spicy                           5º

 

Baseado nestas degustações acima eu classificaria as água tônicas disponíveis em nosso mercado, em 3 categorias:

            *** Fever Tree Mediterranean, Schweppes, Fever Tree Indian, Tônica 202 e Canada Dry

            ** 1724 Tonic, Prata, Si. Pierre, Botânica Classic Indian, Botânica Lemon Dry e Botânica Spicy

            * Schin, Antártica, Wewi Rosé, Wewi, Riverside e Be Pop

            NP (não provadas): Chiamulera e Original