Um Grande Branco bate 3 Grandes Tintos

12/05/2011 00:00
Logo após uma visita às imponentes e bem supridas adegas do Roberto Baumgart, junto com o Otto Baumgart e o Alexandre Burmaian, nós iniciamos uma degustação “informal” _ por não ser às cegas _, que veio a tornar-se memorável para todos nós. Inicialmente, provamos o elegante e sempre classudo Château Lafite-Rothschild 1990, levado pelo Alexandre. Seguiram-se o poderoso e ainda um pouco fechado Château Latour 1985 e o Château Cheval Blanc 1985, que foi o menos empolgante dos três.

 

Contudo, o grande vencedor, mesmo sorvido após estes três vinhaços tintos e à uma temperatura de adega, foi o estupendo branco Château Laville Haut-Brion 1989. Eu reputo este grande vinho e seu irmão o Château Haut-Brion Blanc os dois melhores brancos secos do mundo. O seu nariz era intenso, mineral, floral, com notas de frutas brancas maduras (pêssego e pera) e um leve toque de limão. O sabor era denso, harmônico, complexo e elegante, com a sua característica impressão de resina e uma ótima acidez. Impressionou pelo seu longuíssimo, complexo e prazeroso retrogosto, que teimava em não acabar.

 

Recentemente, este vinho teve o seu nome mudado para Château La Mission Haut-Brion Blanc, pelos motivos expostos neste link:  https://www.amarante-vinhos.com/news/reformula%C3%A7%C3%B5es%20nos%20vinhos%20haut-brion/