Maiores Produtores Mundiais de Espumantes

25/04/2016 00:00

 

A produção mundial de vinhos espumantes aumentou significativamente nesses últimos 10 anos, em mais de 40%, passando de 12,7 milhões de hectolitros em 2003 para 17,6 milhões de hectolitros em 2013. Ao passo que, no mesmo período, aquela dos vinhos tranqüilos aumentou apenas em 7%.

Isso explica-se pelo consumo desses produtos estar passando por uma evolução. Há uma mudança no hábito principalmente festivo, para uma consumação mais regular.

 

Países                        Produção 2013         %

                                   (milhões hl)

1º França                     3,5 (*)                       20

2º Itália                        3,2                            18

3º Alemanha                2,6                            15

4º Espanha                  1,9                            11

5º Rússia                     1,8                            10

Sub-total                     13,0                                       (74)

Outros                          4,6                            26                  

Total                           17,6                                       (100)

 

Fonte: OIV 2014 - Les vins effervescents

Nota: (*) 2,6 milhões hl sendo Champagne, o que representa 15% de toda a produção mundial de espumantes.

 

Nesses últimos 10 anos, houve também um forte aumento de produção de espumantes em alguns outros países, como por exemplo:

- Brasil                      +248%

- Argentina                 +198%

- Austrália                  +29%

- Estados Unidos        +25%

 

As exportações de espumantes em 2013 somaram 8,7 milhões de hectolitros, sendo que três países se sobressairam, com 83% do mercado total:

1º Itália                      44%

2º Espanha                 21%

3º França                   18%

 

Em volume, a Itália e a Espanha sobrepujaram de muito a França, por causa dos preços mais econômicos dos seus Prosecco e Cava. Entretanto, em termos de valor, a França abocanhou 53% do mercado externo, contra 21% e 9%, de Itália e França, respectivamente. Esse fato deve-se aos valores mais elevados dos seus Champagne.