Degustação de Riesling Germânicos Secos

15/09/2016 00:00

 

O Ibrahim Zouein, como faz frequentemente, convidou um grupo de amigos para uma degustação muito especial no Amadeus. O painel contemplou 8 Riesling germânicos secos, sendo 4 alemães (3 do Rheingau e 1 do Mosel), 3 alsacianos e 1 austríaco. O resultado da prova e as minhas avaliações foram as seguintes:

 

Vinhos                                                                                   Notas JOA

1º Hoccheime Hölle Erstes Gewächs Riesling 2010

      (Künstler) - Rheingau                                                    95

2º Schloss Vollrads Schlossberg Grosses Gewächs

      Riesling 2012 (Schloss Vollrads) - Rheingau                    94

3º Clemens Busch Riesling trocken 2010

     (Clemens Busch) - Mosel                                                94,5

4º Cuvée Frédéric Émile Riesling 2001

     (Trimbach) - Alsace                                                         92,5

5º Kamptaler Terrassen Riesling 2012

     (Bründlmayer) - Áustria                                                    91,5

6º Schoelhammer Grand Cru Riesling 2007

     (Hugel) - Alsace                                                                89,5

7º Kiedrich Gräfenberg Erstes Gewächs Riesling 2006

      (Robert Weil) - Rheingau                                                 90,5

8º Wiebelsberg Grand Cru Riesling 2006

      (Marc Kreydenweiss) - Alsace                                           87

 

Comentários: O nível da prova esteve muito alto, pois quase todos os vinhos mostraram as grandes qualidades da uva Riesling: elegância, complexidade aromática, intensidade, acidez frutada e prazerosidade. Como seria de esperar, os exemplares alemães foram os grandes vencedores, sendo que o Hoccheime Hölle, ganhou quase por unanimidade. Pena que a garrafa do grande Kiedrich Gräfenberg não esteve à altura do seu enorme gabarito. Para meu paladar e de quase todos os outros 7 participantes, dois dos alsacianos decepcionaram por apresentarem açúcar residual, notadamente o Wielbelsberg.