Degustação de Riesling Alemães Secos

20/01/2017 00:00

 

Iniciando o ano de 2017, a Confraria do Amarante (a minha outra, mais nova que o Grupo Amarante), resolveu fazer um painel com 6 Riesling germânicos secos, sendo 2 do Rheingau, 2 do Rheinhessen, 1 do Mosel e 1 de Pfalz. Além destes seis vinhos, nos deleitamos com 2 outros Riesling doces (Spätlese sem a palavra complementar "trocken", isto é, "seco"). O resultado da prova e as minhas avaliações foram as seguintes:

 

Vinhos                                                                                Notas JOA

1º Zeltinger Schlossberg Riesling Spätlese trocken

      2003 (Selbach Oster) - Mosel                                       96

2º Forster Jesuitengarten Grosses Gewächs Riesling

      2008 (von Bühl) - Pfalz                                                 95

3º Kiedrich Klosterberg Riesling trocken 2013

      (Robert Weil) - Rheingau                                               93

4º Kloster Heilsbruck Riesling Spätlese trocken

     2014 (Kloster Heilsbruck) - Rheinhessen                       93,5

5º Riesling von der Fels trocken 2010

     (Keller) - Rheinhessen                                                    92,5

6º Rheingau Riesling Kabinett trocken 2014

      (Balthasar Ress) - Rheingau                                          92

 

Comentários: Os dois primeiros colocados foram muito bem pontuados por todos e mostraram toda a imensa classe e elegância de um Riesling seco alemão. No mesmo nível destes dois campeões, se apresentaram os dois Riesling doces. O Deidesheimer Hohenmorgen Riesling Spätlese 1974, Dr. Bürklin-Wolf, mostrou não só uma alta categoria, como também a enorme longevidade dos vinhos alemães desta nobre casta, graças a uma elevada acidez frutada. Também, agradou bastante a todos o excelente Scharzhofberger Riesling Spätlese 2007, Egon Müller.