Degustação de Hermitage Rouge

22/05/2012 00:00

 

Uma degustação de Hermitage tinto, elaborado com a casta Syrah, é sempre um grande prazer. Ainda mais quando estão presentes os grandes nomes da região e de safras bem antigas! Cabe ressaltar que os vinhos desta nobre casta, envelhecidos por mais de 20 anos, estão entre os grandes vinhos do mundo, com uma elegância e complexidade raramente encontradas em tintos desta variedade, produzidos em outras zonas do mundo. Para tornar a prova ainda mais emocionante, a Confraria do Amarante, no seu encontro de maio de 2012, resolveu colocar como “pirata” um estupendo e reputado Côte-Rôtie, também rodoniano de Syrah. O resultado foi o seguinte:

 

 

Vinhos                                                                                  Notas JOA

1º Hermitage 1978, J. L. Chave

     (com 3 votos de 1º)                                                            92

1º Hermitage La Chapelle 1978, Jaboulet

     (com 1 voto de 1º)                                                              95

3º Côte-Rôtie La Landonne 1986, Guigal

     (com 3 votos de 1º)                                                            96

4º Hermitage La Chapelle 2001, Jaboulet

     (com 2 votos de 1º)                                                            94

5º Ermitage Le Pavillon 1995, Chapoutier                                  91

6º Hermitage La Chapelle 1983, Jaboulet                                   91,5

7º Ermitage Le Méal 1997, Chapoutier                                       90

 

Comentários: Desta prova, puderam ser novamente comprovadas algumas conclusões. A primeira delas é que o Côte-Rôtie La Landonne mostrou-se mais elegante que os Hermitage, sendo inclusive o meu vencedor. Outra é que os Hermitages elaborados com mescla de diversos vinhedos são mais harmônicos e complexos (Chave e La Chapelle) do que aqueles provenientes de uma única parcela (Chapoutier). E, finalmente, que o La Chapelle possui uma altíssima consistência, que sempre me encanta.