Degustação de Etna Rosso

09/11/2011 00:00

Logo após uma maravilhosa viagem à região do Etna, na Sicília, de onde inclusive trouxe alguns exemplares de vinho, resolvi organizar 2 degustações dos tintos desta promissora e ainda pouco conhecida zona. A primeira delas, realizada em outubro de 2011, foi na Confraria do Amarante e a segunda, em novembro do mesmo ano, na Confrarina. O resultado composto destas 2 provas, foi o abaixo:

 

Vinhos                                                                 Ordem JOA

1º Etna Rosso Prephylloxera 2008, Terre Nere         95

2º Etna Rosso Guardiola 2008, Terre Nere               94,5

3º Etna Rosso Moganazzi Volta Sciara 2008,

    Le Vigne di Eli                                                   93,5

4º Etna Rosso Cirneco 2008, Terrazze dell’Etna        93

5º Tascante IGT 2008, Tasca d’Almerita                 92

6º Etna Rosso Il Musmeci 2007, Tenuta di Fessina   91,5

7º Passopisciaro IGT 2007, Passopisciaro               91

8º Etna Rosso Feudo 2007, Girolamo Russo            88

 

Como pode muito bem ser visto, a Tenuta delle Terre Nere foi a grande vencedora do embate. Pois, ficou com a primeira colocação do Prephylloxera 08 _ de vinhas plantadas em 1870 _ , a segunda, com o Guardiola 08 e também a terceira, com o Moganazzi 08, de propriedade do mesmo dono e cuja vinícola leva o apelido de sua filha “Eli”. Segundo o reconhecido enólogo Federico Cutraz, que trabalhou por 12 anos na Gaia, os 3 tintos de topo da Itália são: Barolo/Barbaresco (uva Nebbiolo), Taurasi (casta Aglianico) e Etna Rosso (cepa Nerello Mascalese). Esta lisonjeira avaliação do Etna justifica-se, pelos seguintes predicados: vinhedos velhíssimos situados nas encostas do vulcão Etna, em elevadas altitudes de 400-1.000 metros, com solo arenoso de origem vulcânica, na zona mais fria da ilha, com gradientes térmicos diários de até 30ºC. Além disso a variedade Nerello Mascalese (podendo receber até 20% da prima Nerello Cappuccio, na DOC Etna Rosso), é de altíssima qualidade dando tintos com características borgonhesa-barolesa. O bouquet lembra a Pinot Noir. O ataque de boca, levemente tânico na juventude, evolui para um retrogosto sedoso e elegante com muito de borgonhês. Se você ainda não provou nenhum tinto do Etna, não sabe o que está perdendo!