Dorper

 

 

Finalidade: carne e pele

Distribuição: Mundo

Origem: é uma raça ovina de carne desenvolvida na África do Sul, através do cruzamento de carneiro aspado Dorset Horn com ovelha Blackhead Persian (conhecida no Brasil por Somális). Durante a década de 1930, surgiram os seus primeiros produtos deste cruzamento, que se destacavam-se pelo rápido crescimento e pela qualidade e peso das suas carcaças. Alguns eram totalmente brancos e recebiam a denominação de Dorsian (vide White Dorper), outras eram brancos com a cabeça e pescoço pretos, sendo conhecidos como Dorper. Posteriormente, a denominação de Dorper estendeu-se indiferentemente a todos os produtos do aludido cruzamento, independentemente de serem totalmente brancos ou brancos com cabeça e pescoço pretos. Cerca de 85% dos membros da Associação Sul Africana de Criadores da raça Dorper criam animais de cabeça preta. Ela foi desenvolvida para regiões semiáridas extensivas da África do Sul, tendo, atualmente, o segundo maior plantel ovino neste país. Esta raça encontra-se difundida em todos os cantos do Mundo, com grande número na Austrália e Brasil.

Descrição: essa raça é uma das mais férteis raças de ovinos sem chifres, com bom comprimento corporal e cobertura de pêlos e lã claros e curtos. A sua pele é uma das mais valorizadas do mundo. Apresenta excepcional adaptabilidade, robustez e excelentes taxas de reprodução e crescimento, além de boa habilidade materna. Ela foi criada com o único propósito de produzir carne, o mais eficientemente possível, sob variadas e mesmo desfavoráveis condições ambientais. É de rápido crescimento, os cordeiros atingem 36 kg aos 100-120 dias de idade, produzindo carcaças de 16 kg. O peso adulto desta raça é de 80 kg a 120 kg nos machos e 60 kg a 90 kg nas fêmeas. Os machos reprodutores dessa raça tem apresentado boas respostas nos cruzamentos com fêmeas matrizes de Santa Inês.