Estatísticas

 

Mundo

        O Brasil é o maior produtor e consumidor mundial de feijão, com 16,3% da produção mundial, em 2004. Considerando todos os gêneros e espécies de feijão englobados nas estatísticas da FAOSTAT/FAO, referentes a 2004 e publicadas em 2005, cerca de 67% da produção mundial foi oriunda de apenas 7 países, conforme tabela a abaixo:

                           

 

País

Produção (t)

Participação na produção (%)

Participação acumulada (%)

Brasil

3.054.049

16,3

16,3

Índia

3.000.000

16,1

32,4

China

2.009.000

10,7

43,1

Myanmar

1.650.000

8,8

51,9

México

1.400.160

7,5

59,4

Estados Unidos

847.900

4,5

63,9

Uganda

535.000

2,9

66,8

Outros 110 países

6.203.157

33,2

100,0

Total mundial

18.699.266

100,0

[26,9 milhões ha]

 

        Nas estatísticas da FAOSTAT/FAO, considerando somente o gênero Phaseolus, o Brasil é o maior produtor, seguido pelo México.

        A área ocupada com feijão-caupi, no mundo, gira em torno de 12,5 milhões ha dos 26,9 milhões ha totais. Sendo que, 64% encontram-se na África Ocidental e Central e os 36% restantes, sobretudo nas Américas do Sul e Central e Ásia. Os maiores produtores mundiais de feijão-caupi são Nigéria, Niger e Brasil.

        As Américas respondem por 43,2% do consumo mundial de feijão, seguidas da Ásia (34,5%), África (18,5%), Europa (3,7%) e Oceania (0,1%).

 

Brasil

        De acordo com dados da CONAB, relativos à safra de 2007/2008, os principais estados produtores foram: Paraná (22,3%), Minas Gerais (15,3%), Bahia (10,0%), Ceará (8,0%), São Paulo (7,4%), Goiás (6,9%) e Santa Catarina (5,1%). Estes 7 estados responderam por 75,0% da produção, nesta safra, que atingiu 3,5 milhões de toneladas.

        No Brasil, o feijão-caupi é cultivado predominantemente no sertão semi-árido da região Nordeste e em pequenas áreas da Amazônia. Os maiores produtores são os estados do Ceará, Piauí, Bahia e Maranhão.

        Apesar da alta produtividade média atingida pela cultura do feijão, o Brasil sofreu uma redução na area de plantio desta leguminosa de cerca de 25%, no período de 1984 a 2004. Por isso, hoje importamos cerca de 100 mil ton de feijão por ano, mesmo produzindo anualmente 3-3,5 milhões de ton. A maior parte das importações são de feijão preto, seguido pelo feijão de cores. Os principais países exportadores para o Brasil são Argentina, Chile, Estados Unidos e Bolívia.

        No Brasil, o consumo per capita de feijão, na década de 70, era de 18,5 kg/ano; já em 2002 baixou para 16,3 kg/ano; sendo, hoje, de 12,7 kg/ano.