Preto (Oryza sativa ssp japonica)

 

 

        Cultivado na China há mais de 4 mil anos, tendo a fama de ser afrodisíaco. Lá, era chamado de “arroz proibido”, por ser consumido exclusivamente pelo Imperador.

        O seu grão é curto e meio arredondado, sendo preto, quando cru, tornando-se púrpura escuro, quando cozido. Tem uma textura macia, um sabor amendoado exótico e algo rústico.

        Muito utilizado, na forma integral e cozido al dente, como salada e outros usos da cozinha oriental.

        Produtor (nacionalizado): Tio João, Camil, Namorado

 

Preto IAC 600 (Oryza sativa ssp japonica)

        Segundo a legislação brasileira, a IN-06/2009, é uma das variedades especiais de arroz, isto é, aquelas que apresentam características dentro da espécie Oryza sativa L., cujos grãos apresentam o pericarpo de coloração preta, que as tornam apropriadas para determinados usos, a exemplo do arroz aromático e do arroz vermelho.

        A cultivar IAC 600 _ tipo preto _ originou-se de uma seleção massal realizada pelo IAC – Instituto Agronômico de Campinas, na variedade chinesa Wang Xue Ren. Foi desenvolvido para as regiões produtoras de arrozais de São Paulo. Foi a primeira cultivar de arroz preto lançada no Brasil.

        O seu grão pertence à classe dos “médios”.

        É recomendado para ser consumido na forma integral. Possui aroma e sabor acastanhado, grãos muito macios após o cozimento, com excelentes qualidades nutricionais, de proteínas, vitaminas e fibras, se comparado aos tipos tradicionais.

        Vai muito bem em saladas, assim como o arroz vermelho. Combina também com aves, caças e frutos do mar. “Prefira usá-lo como ingrediente, e não como acompanhamento, já que o sabor é bem acentuado”, alerta o chef Arthur Sauer, do Roux Bistrô.

        Produtor: Ruzene