Estatísticas

 

Mundo

        A Ásia é a principal produtora, nela concentram-se quase 90% da produção mundial de arroz. Os principais produtores mundiais são os mostrados no mapa abaixo:

                           

 

Europa

        Os principais produtores europeus de arroz, em 2010, em milhões toneladas, foram: Itália (1,64), Espanha (0,93), Grécia (0,23), Portugal (0,17) e França (0,12). [FAOSTAT]

        A rizicultura italiana é concentrada principalmente nas regiões do Piemonte (49,8% da area total, em 2010) e Lombardia (43,3%), no quadrilátero das províncias de Vercelli, Novarra, Pavia e Milano. Os 6,9% restante estão cultivados notadamente no Veneto, na província de Verona, na província lombarda vizinha de Mantova, e em outras zonas dispersas.

        As três variedades italianas mais importantes para risoto são: a Carnaroli (6.645 ha, em 2010) _ sendo 74,4% na Lombardia _; a Vialone Nano (5.099 ha) _ sendo 59,1% na Lombardia; e a Arborio (1.211 ha) _ sendo 64,7% também na Lombardia.

        As principais regiões produtoras de arroz na Espanha, encontram-se na Andalucía e Extremadura, seguidas da Comunidad Valenciana, Cataluña y Aragón, e em menor medida, determinadas zonas de Navarra, Murcia e Albacete.

        Atualmente, os espanhóis possuem três arrozes com denominações protegidas: DOP Arroz de Valencia, em Valencia; DOP Calasparra, em Murcia e Albacete; e IGP Arroz del Delta del Ebro, na Cataluña. Na DOP Arroz de Valencia, a variedade Bomba vem identificada na embalagem, porém quando não descrita, é porque contém também arrozes das variedades Sénia e/ou Bahía. A DOP Calasparra emprega as variedades Balilla x Sollana (mais cultivada) e Bomba. E a IGP Arroz del Delta del Ebro permite as variedades Bahía (grande maioria), Tebre, Sénia, Fonsa, Bomba e Montsianell. 

        Portugal, apesar de ser apenas o 4º maior produtor de arroz europeu, atrás de Itália, Espanha e Grécia, tem atualmente o mais elevado consumo de arroz per capita da Europa, de cerca de 15 kg. Neste país, são produzidos principalmente dois tipos de arroz branco: um deles de grão curto, o majoritário Carolino, da subspécie japonica, sendo que 70% dele da variedade Ariete; e o outro de grão médio, o Agulha, da subspécie indica.

        Neste país, a cultura do arroz tem a sua maior importância nas suas zonas húmidas, sobretudo nos estuários dos rios Tejo, Sado, e Mondego. Contudo, até o presente, apenas a região do Tejo obteve, em 2006, uma IGP – Indicação Geográfica Protegida reconhecida, denominada de Arroz Carolino das Lezírias Ribatejanas. Entretanto, em 2012, houve um pedido para também oficializar a IGP Arroz Carolino do Baixo Mondego.

 

Brasil

        No Brasil, pode-se dividir a produção de arroz  em três pólos: o primeiro é a região Sul, com destaque para o estado do Rio Grande do Sul; o segundo é a região Centro-Oeste (Mato Grosso e Goiás); e o terceiro pólo, fica concentrado na região Nordeste (Piauí e Maranhão) e Norte (Pará e Rondônia).

        O cultivo de arroz irrigado, praticado na região Sul do Brasil contribui, em média, com 54% da produção nacional, sendo o Rio Grande do Sul o maior produtor brasileiro. Já a área plantada com arroz de sequeiro, em terras altas, localiza-se nos outros dois pólos. Entretanto, as pesquisas atuais priorizam ações para consolidar a presença da cultura em sistemas de produção de grãos nas regiões no Cerrado.

        O arroz cultivado nas áreas irrigadas pertence à subespécie indica, ao passo que os cultivares das áreas de sequeiro são da subespécie japonica.